Halloween – Curiosidades & Dicas de Livros 👻👻👻👻

TRICK OR TREAT?

halloween

A principal origem do “Halloween” não vem de fantasias ou doces e travessuras, mas vem de mulheres que, desde muito tempo, são queimadas sobre o calor do fogo da inquisição e julgadas hereges por entenderem demais da natureza, por cultuarem deuses pagãos e terem o espírito livre. Elas são as bruxas!
E sim, no sentido literal. Pois o Halloween, na cultura celta, simboliza aquele “adeus ano velho, bem-vindo ano novo” que dizemos todo final de ano. O chamado Samhain.

“Na Irlanda do século V (a.C.), o dia 31 de outubro fazia parte de um conjunto de quatro datas comemorativas do calendário celta que marcava a transição das estações, o período de plantação e colheita, e o ciclo vital da Terra. A primeira data era celebrada no dia 2 de Fevereiro em honra a deusa da cura Brigith. No mês de maio celebrava-se o Beltane, considerado o dia que iniciava a temporada de semear. Nesta data realizavam-se rituais de fertilidade e prosperidade para incentivar o crescimento da lavoura. A terceira data ocorria em agosto: a festa da colheita em reverência ao deus sol Lugh. Finalmente, no dia 31 de outubro celebrava-se um feriado denominado Samhaim, que marcava o final do ano celta em honra ao deus pagão Samhan (Senhor dos Mortos), também o fim do verão e início do inverno.
[…]
A expressão Halloween tem origem na contração errônea da expressão inglesa All Hallows Eve (que significa Dia de Todos os Santos). Esta data foi instituída pelo Papa Bonifácio IV, e era celebrada no dia 13 de maio. Porém, em 835 o Papa Gregório III alterou o Dia de Todos os Santos para o primeiro dia de novembro. Sua intenção era unir as crenças cristãs e pagãs, aproximando as datas comemorativas. Outro objetivo do Papa era apaziguar os conflitos entre esses povos no noroeste europeu. Assim, os cristãos celebravam o dia dos santos falecidos no dia posterior ao rito pagão do Senhor dos Mortos. Desta forma, a expressão Halloween tornou-se sinônimo da celebração pagã de 31 de outubro.” – Spectrum Gothic

Para saber mais sobre esta data tão cheia de curiosidades que muitos nem sabem existir, ou apenas tem um raso conhecimento sobre, CLIQUE AQUI!

Agora, vamos às nossas dicas?

mia-no-mundo-das-bruxas-01

Pra começar bem, começamos com a minha linda bruxinha (sobrinha) Mia, que foi minha modelo para este post. Ela não é uma gracinha toda vestida de bruxinha?

mia-no-mundo-das-bruxas-02

A trilogia As Filhas de Dana já foi postada aqui no blog, onde conhecemos um pouco sobre a origem dessa cultura druídica, tendo divergências entre vilas e vilarejos de Portugal e uma pós colonização do Brasil. Vemos personagens mulheres fortes que lutam pelos seus ideais e missões. Homens que enxergam a frente de seu tempo e as apoiam com amor. Vale a pena ler a obra toda da autora brasileira Simone O. Marques. A trilogia é constituída por: Paganus, Samhain e Beltane. Você pode ler a resenha CLICANDO AQUI.

mia-no-mundo-das-bruxas-05

O romance Brida de Paulo Coelho é um dos meus favoritos do autor. Ele pega como tema principal a busca do amor, da sua outra parte por meio da magia. É um livro muito lindo. Nele há explicações sobre a divisão da alma em duas partes quando estamos vindo ao mundo, há rituais e até uma passagem linda que diz que quando você encontrar seu verdadeiro amor, você vai sentir, vai saber e pode ver, por meio de um ponto de luz que essa pessoa é parte de você, é sua outra parte. É um livro mágico, vemos até mesmo uma vida passada da Brida e a acompanhamos por todo o seu percalço dentro do livro. Muito bem elaborado e não pode faltar!

mia no mundo das bruxas 03.png

Nossa terceira recomendação é essa super dupla: A Profecia das Irmãs e a Guardiã do Portal da autora Michelle Zink.
Esse é um livro um pouco mais pesado. Trata de todo o universo espiritual e fala um pouco sobre viagens astrais, além de ter algumas referências de wicca e apocalipse. Algumas descrições podem beirar o assustador e podem atormentar (experiência própria), tanto que faz mais de cinco anos que li o primeiro volume e ainda não tive coragem de ler o segundo, já sabendo que tem um terceiro. Então, leiam por mim e depois me falem ❤
Mas afinal, estamos falando de Halloween, certo? Então tem que ser assustador!!
Esse é um livro que vai, literalmente, f#@$% com a sua mente.

mia-no-mundo-das-bruxas-04

O Bruxos e Bruxas, eu vou ser bem sincera, eu ainda não li. Mas por que ele está na lista? Simples, ele tem uma sinopse interessante que trata de todo o contexto da perseguição/caça às bruxas, e por falta de ter o que falar sobre ele, segue a sinopse abaixo:

“É como entrar em um pesadelo. Do nada, você é retirado de sua casa, preso, e acusado de bruxaria. Parece século 17, mas é o governo da Nova Ordem, e está acontecendo agora!
Sob a ideologia da Nova Ordem, O Único Que É O Único mantém seu poder à força, sem música, nem internet, nem livros, arte ou beleza. E ter menos de 18 anos já é motivo suficiente para que você seja suspeito de conspiração.
Os irmãos Allgood estão encarcerados nesse pesadelo e, para escapar desse mundo de opressão e medo, terão que contar um com o outro e aprender a usar a magia.
Do autor best-seller James Patterson, Bruxos e Bruxas é uma saga para se ler… antes que seja tarde.”

Menos é mais!
Tenho dito isso sempre e, por justamente menos ser mais, é que a sinopse me interessou. O que pode ser mais interessante do que uma perseguição às bruxas em pleno século XXI? Não, não responda essa pergunta, vá ler antes que seja tarde demais.
E acreditem, isso é uma coisa que desde a inquisição tem retornado para nunca ser esquecido. Reflita sobre isso!

afeer

E para terminar, nossa ultima recomendação: As Feiticeiras de East End!
A resenha deste livro, que também trata-se de bruxas, está ao ar desde ontem e pode ser acessada CLICANDO AQUI.
Um único motivo para ler este livro: fala de bruxas a partir da mitologia nórdica. Ponto. Vá ler e acabou, sem discussão. Aposto horrores que você nunca vai achar um livro que una bruxas a mitologia nórdica. Embora eu tenha gostado mais da série cancelada pelo Lifetime que, aliás, é bem fiel ao livro, o livro conta com elementos que explicam melhor alguns fatores da série. Há uma divergência e eu posso ter me confundido um pouco na resenha, mas não desista de mim e nem das minhas recomendações. Vá lá ler uns livros e depois me conta aqui que eu adoro conversar com vocês :*
Eu sei que a foto não está combinando muito com todo o estilo do post, mas não deu tempo de preparar algo melhor que isso, espero que entendam e que tenham gostado, esse foi nosso especial #mêsdomedo aqui no blog ❤

Resenha: As Feiticeiras de East End

Essa é uma resenha bem curta. Razoavelmente curta. E não por que eu quero, mas porque não há muito o que se falar deste livro depois de ter assistido ao seriado cancelado na segunda temporada pela Lifetime.

Há muitas coisas neste livro que são mudadas na série, como por exemplo: Freya e Ingrid são imortais, elas não morrem varias vezes como é na série. Além disso, Joanna não tem a tia Wendy como irmã, o que nos leva a outra irmã, uma chamada Helda que habita o submundo. Grave essa referência, por que se você, meu caro leitor, assistiu Witches Of East End até o final (ou seu respectivo e maldito cancelamento), vai entender boa parte da história da série nos livros.

afeer

Bom, o que posso falar desse livro? Eu ainda não criei, certamente, uma opinião própria sobre ele além do pacato “gostei” “dou tantas sei lá quantas estrelas” e mimimi. Na verdade, tudo isso por que é difícil falar do livro sem buscar alguma referência da série, ainda mais quando eu assisti primeiro a série e depois li o livro. Não é decepção, não é ponto morto e muito menos um trágico “não sei opinar”. Na verdade, estou tentando ser o menos criteriosa possível para escrever para vocês.

O livro tem seus altos e baixos. A série tem sua produção e efeitos especiais. Tudo muda, mas novamente: difícil falar de um sem tomar a referência do outro.

Não sei se vocês sofrem do mesmo que eu, que é quando você assiste antes de ler e depois fica se perguntando como seria se fosse o contrário. Eu odeio isso, me deixa confusa.

Mas tudo o que posso dizer é: não descarte este livro só pela minha resenha! Ele não é ruim, se você assistiu a série primeiro, como eu, talvez te agrade muito pelo livro ter mais detalhes que na série não são relevantes, mas talvez você também odeie por que você prefere a produção da série que é mais plausível do que as explicações do livro. E pra você que não conhece, está aí uma ótima oportunidade de conhecer e embarcar, talvez você se apaixone, só o que encontrei não foi muita novidade, ou talvez eu esperasse que fosse mais igual à série, embora alguns detalhes mereçam palmas pelo capricho e cuidado de Melissa de la Cruz, pontos que na série são um incrível e enorme ponto de interrogação.

Bom, respira e vamos lá!

A história é semelhante, lá está as mulheres Beauchamp tentando sobreviver em sua cidade como pessoas normais, elas são protegidas por um tipo de conselho que restringe elas de usarem bruxaria, mas sabemos que, não fica só por aí quando muita coisa estranha e duvidosa começa a acontecer e elas são obrigadas a se defender da melhor forma que sabem: usando magia!

Parece clichê, mas a história é fantástica, com detalhes meio viajados sobre as bruxas, mas interessante para quem gosta de ficção e ainda mais do tema. E claro, não para por aí, esse livro nos da a impressão de que muito mais virá pela frente assim que terminamos de ler, o que deixa o leitor intrigado.

Falando um pouco sobre a impressão: não achei das melhores, poderia melhorar sim, mas como gosta de olhas amareladas e fontes um pouco maiores, já dou 10. E não só isso, cada personagem tem sua própria narrativa, ou seja, só as mulheres Beauchamp. Tudo é bem bonitinho e organizado, a leitura não é demorada ou chata, na verdade ela segue uma linha de raciocínio linear, embora eu ache que os acontecimentos no final foram feitos na correria e poderia ter tido mais explicação, embora passe longe daquele típico final Disney de felizes para sempre, nos trazendo uma bela surpresinha, que tanto na série quanto no livro, eu não esperava. Também é válido falar aqui que todas as mulheres Beauchamp são exatamente iguais as da série, não só fisicamente quando se vê a descrição de cada uma, mas o temperamento e a forma como cada uma é, também é igual da série.
O livro nos trás familiaridade quando o lemos depois de assistir a série, e ouso até dizer: mata um pouco da saudade.

Abaixo uma frase do livro para você se interessar mais:

Droga, ele tinha que ser tão bonito? Ela pensou estar imune a esse tipo de coisas. Que clichê: alto, moreno e bonito. Ela odiava caras arrogantes e metidos, que pensavam que as mulheres viviam para servir seus vorazes apetites sexuais. Ele era o pior criminoso do tipo, fazendo guinchar sua Harley; e que cabelo ridículo, aquele tipo de franja confusa e farta caindo nos olhos, aquele calor sensual de chega-mais. Mas havia outras coisas. Uma inteligência. O saber em seus olhos. Era como se, ao olhar para ela, ele soubesse exatamente o que ela era e como ela era. Uma feiticeira. Uma deusa. Alguém não desta Terra, mas também não fora dela. Uma mulher a ser amada, temida e adorada.”

Bom, a partir daqui darei meu ponto de vista sobre os principais pontos do livro em relação a série, não sei se é bom vocês lerem, mas se quiserem fiquem a vontade, só não vale reclamar depois. O aviso foi dado ❤

ATENÇÃO: CONTÉM SPOILERS

Pontos positivos: O livro detalha melhor o relacionamento de Freya com os irmãos Gardiner, na verdade, o relacionamento deles é até diferente da série (ah vah) e não me culpem, eu achei o livro ótimo, só que gostei mais da série. Porém, o livro vai revelar coisas sobre os irmãos Bran (Dash na série) e Killian Gardiner que na série são um tremendo mistério. Até por que na série vemos o gêmeo de Freya tretar de leve com Killian e isso tem algo em comum com o livro, por que em algum determinado ponto dele, esse irmão gêmeo vai aparecer e dizer que quer se vingar de Killian por que não sei hahaha e o pior, não sei mesmo, mas da pra ter uma noção, já que Bran apronta horrores nesse primeiro volume.
Além desse ponto positivo, eu gostei muito das duas histórias, da série e do livro serem parecidas, terem um cenário confortável. Gostei muito de cada mulher Beauchamp ter um mascote, por exemplo: Freya tem um gato preto chamado Siegfried, Ingrid tem um grifo chamado Oscar e Joanna um morcego chamado Gilly, e elas podem se transformar ou adotarem a mesma forma desses mascotes.
E o ponto mais interessante é que na série vemos uma restrição de magia que é imposta por Joanna durante toda a trama, no livro há um conselho que restringe as bruxas de usarem seus poderes enquanto habitam o mundo humano, chamada de terra do meio.

Pontos negativos: O que mais odiei foi a falta que senti de Wendy, me decepcionei em saber que na série ela é uma figura criada e no livro ela não existe. Pelo menos não sei até que ponto do livro ela não existe, mas fiquei muito decepcionada com isso, uma vez que a nossa querida tia Wendy era a alma da coisa toda, dava humor e tinha um espirito carismático. Esse foi, pra mim, o ponto negativo principal. Mas pelo menos temos uma breve ideia do que é o inferno que ela se meteu no final da segunda temporada, pois no livro fala brevemente sobre o submundo, onde é habitado por Helda, irmã de Joanna. O interessante é como tanto o livro quanto a série aborda o tema de deuses e deusas nórdicas, é por isso que acho tão incrível, por que nunca vi alguém falar disso de uma maneira inteligente.
Outro ponto negativo: Os nomes de alguns personagens foram mudados, por exemplo, Dash da série se chama Bran nos livros, e o pai de Freya que se chamava Viktor na série tem outro nome no livro. Isso foi algo que logo de começo confunde um pouco dependendo da perspectiva.

♠ ♠ ♠

Finalizando, esse foi o nosso especial mês das bruxas, não pudemos fazer mais do que algumas resenhas no tema, o que foram 4, mas nós continuamos com certeza a todo vapor idependente da data e é isso aí. Se você gostou, não deixe de continuar nos acompanhando, pois são vocês que fazem toda a diferença por aqui. Um grande beijo ❤

Promo na Submarino

Fimm de ano chegaanndo! Natal e Ano Novo estão bem, beem pertinhos.

É claro que essa época do ano pede promoções. Que tal já ir escolhendo os seus presentes para o final do ano? Aquele livro que você tanto quer pode estar na promoção. Ou presentear alguém, uma amiga que você gosta muito – mas tem que ser amiga mesmo, viu! Livro não se dá pra qualquer um.

Bom!! O Submarino está com um promoção imperdível. Coloque 2 livros no carrinho e cadastre o cupom LIVROS20 que cada um sairá por R$ 6,00. =O Simmmmmmmmm, cada livro por R$ 6,00.

Para aproveitar essa promo acesse o site da submarino e divirta-se nas suas compras.

Resenha: Saga As Filhas de Dana – Simone O. Marques

Para aqueles que decidiram trilhar o caminho de pedras e flores.

trilogia-as-filhas-de-dana-01

Há um pequeno porém do porque esta resenha ser tão diferente das outras e do porque resolvi que esta deveria ser diferente das outras (rsrsrs). Por se tratar de uma trilogia, eu decidi que faria uma visão geral da trilogia sem spoilers. E, primeiramente, esse foi o livro mais real de bruxas pagãs que eu já li. E não digo que foi real pela época, contexto, as imagens femininas fortes e independentes, mas por sentir na pele delas, enquanto lia cada parágrafo seus desafios diários.

A trilogia da autora brasileira Simone O. Marques, nos traz uma realidade de um dos piores momentos que a humanidade mostrou-se intolerante e ignorante: a inquisição. Mulheres que nem sabiam o que significava o termo bruxa eram condenadas por serem autônomas, por serem bonitas, férteis, conhecerem a natureza e saberem como utilizá-la a seu favor. E nesta trilogia, vemos cada vez mais o crescimento destas mulheres, que se tornavam fortes e capazes de lutarem por suas próprias crenças, embora vivessem mascaradas para que não fossem descobertas pelos olhos da igreja que as condenavam.
O que estou dizendo é que, embora as protagonistas dessa história fossem realmente pagãs, que mal fazem essas mulheres? O pior de tudo: ainda vivemos nesse mesmo mundo? Afinal, parece tão distante, mas o olhar do julgamento, da intolerância, da ignorância, ainda é uma coisa que anda colada com os tempos em que vivemos, e vem se despertando cada vez mais para que nunca caia no esquecimento e que lembre: estamos de olho em você!

Enfim, falando um pouco do que achei: eu simplesmente amei toda a trilogia. É um romance de época misturando um pouco de ficção, embora no final, a autora afirme que tem toda uma pesquisa acerca dos livros e que se trata de uma linhagem de mulheres reais atuantes em suas épocas, isso é o mais surpreendente de tudo. Sempre que me deparo com algum livro que fala no final que é baseado em algum fato, embora a história não seja de todo factual, um arrepio percorre todo meu corpo e me dá uma sensação boa e de realidade. Eu fico imaginando o que essas mulheres passaram para que sua linhagem chegasse tão a frente e o que cativa são os personagens masculinos que deram apoio a estas mulheres, que realmente enxergavam a frente de seu tempo e que ainda precisamos de imagens fortes como estas que enxerguem a frente de seu tempo. Então, amei toda a trilogia, ela tem um vocabulário coloquial que se adapta geograficamente entre Portugal e Brasil, além de se adaptar às épocas em que se passa a história. Os três livros: Paganus, Samhain e Beltane tem capas maravilhosas e as páginas são todas decoradas, amareladas do jeito que eu gosto e me deixou viciada. Consegui perder várias vezes a noção do tempo e li cada um em três dias. É uma leitura super rápida, não são livros de páginas numerosas, mas isso não é um ponto negativo. Só que no final você espera por uma continuação.

AVISO IMPORTANTE: AS TRÊS RESENHAS A SEGUIR PODEM CONTER SPOILER

paganus

Paganus é o primeiro volume da Saga As Filhas de Dana. Vou dizer que logo os primeiros capítulos eu achei um pouco tedioso, embora soubesse que esses primeiros seriam a chave para a história dos capítulos seguintes. Conhecemos os gêmeos Diogo e Douglas que, desde pequenos, competem um com o outro na busca de serem um melhor que o outro. Não é preciso ser exímio pra saber que Diogo é o gêmeo do bem e Douglas o gêmeo do mal, tanto que o pai de ambos tenta corrigir Diogo durante a infância até a época adulta sem muitos resultados, e eles são os principais a dar inicio à trama de perseguição às bruxas, embora Diogo não seja a favor, ele é forçado pelo pai a caminhar para este caminho.
O engraçado é que, realmente, em vilas e vilarejos em Portugal, existiam tribos pagãs que foram perseguidas e convertidas, e são essas vilãs e vilarejos que em Paganus são queimadas com mulheres, homens, crianças e idosos. E em meio a essa perseguição, Diogo conhece Gleide, a personagem mais forte de toda a trama. Você chega a ter ódio dela, mas ela é de um espírito forte e totalmente indomável, espiritualista, livre e até mesmo geniosa. Ele se encanta pela filha de Gleide, Adele, que carrega um bebê na noite em que o pai dele segue até a vila para converter os pagãos ou os levarem para a inquisição.
Eu, sinceramente, acho esse o ponto mais forte de toda a história, pois Diogo se tranca dentro de uma casa com Adele que está tendo seu bebê e Gleide que tenta ajudar ela a prosseguir. Tudo está queimando porque Douglas ameaçou colocar fogo na casa se Diogo não saísse e, se existe prova de que Diogo é um homem diferente, então aí está: ele salva Adele e Gleide de morrerem queimadas, ignora completamente o irmão que tentara matá-lo e as leva para um lugar seguro onde Adele tem sua criança em paz. Os dois jovens se apaixonam intensamente e Diogo as ajudam a mascarar suas crenças perante à igreja numa tentativa de proteção. Ele assume a criança de Adele, pois o pai morreu pelas mãos de Douglas. Se eu pudesse dizer, com certeza, quais personagens mais gostei, sem dúvidas seriam Adele e Diogo, porque eles construíram um amor tão grande que nem Gleide foi capaz de se colocar entre eles como barreira, já que esta personagem parece emitir um desagrado enorme pelos homens.
Então eu simplesmente amo esse casal, acho eles o mais forte de todos os casais durante a trilogia, eles fazem de tudo um pelo outro, o que leva Diogo a abandonar seu status, abandonar suas crenças pelo amor de Adele e protegê-la com esse amor como se não houvesse amanhã, como se ela fosse sua vida toda em suas mãos. E há sentimento mais doce que esse?

Os pontos negativos de Paganus foi Gleide, por que realmente gostava dela no início, mas a personalidade forte demais dela e a descrença no amor e nos homens foi uma coisa que foi ficando chata, por que atiçava Diogo de uma forma que constrangia ele e magoava Adele, embora não fique muito evidente a mágoa de Adele. E Douglas, ele foi o maior dos pontos negativos, tão igual a Diogo e tão diferente ao mesmo tempo. Durante toda a trama ele tentava ser algo para agradar o pai e ser o filho perfeito. E você, meu leitor, já deve imaginar o resto se tratando de um personagem tão negro.

Na segunda parte do livro, temos Daniele. Ou seja, Adele e Diogo, eram só um empurrãozinho para o que acontece no restante da trama. E desde o início, Gleide diz que a criança de Adele terá uma missão especial preparada pela Deusa Dana, a qual eles tem toda sua fé. E a menina é preparada por toda a vida pra isso. Daniele é praticamente uma criança quando descobre que o seu propósito se aproxima e ela conhece Guilherme, que deverá ajudá-la a encarar todas as suas escolhas. Mas até mesmo Daniele terá provações e caminhos tortos, tais quais os de sua mãe. Ela sabe que sua missão se encontra do outro lado do oceano, numa terra chamada Brasil e que tomar essa decisão pode custar deixar tudo o que ela ama para trás.
Galere, no começo, Daniele é muito menina ainda, embora esteja na transição de se tornar mulher. E um homem da corte (Dom Francisco), de posses, deseja tomá-la. E conhecendo Diogo, sabemos que ele faria de tudo para proteger sua família. Ela é uma menina muito forte que é levada por Guilherme, junto de seu irmão mais novo Mateus (Angus) para o porto, no intuito de mantê-los seguros ali, longe das garras de Dom Francisco. E quando chegam lá, Guilherme tem a promessa que fizera ao pai de Daniele que a faria feliz e a levaria até o porto para que partisse para o Brasil. Então ela conhece Antônio, o irmão mais velho de Guilherme que logo se encanta pela jovem, e eles ficam todos alojados no pequeno apartamento de Antônio, que ajuda com os papeis do embarque. Nesse meio tempo, Daniele irá percorrer um caminho de pedras e flores, que a levará para a perseguição, a descoberta do seu real amor e a fuga para o Brasil, que é também desencadeada pela descoberta de sua gravidez.

samhain

Em Samhain, Daniele chegou ao Brasil e, sinceramente, esta é a parte que eu mais gosto de toda a história, pois adiante eu começo a pensar em como Daniele é fraca, mas que na verdade não é. Ela compreende que as coisas seguem seu devido caminho, querendo ela ou não, e isso a faz uma personagem realmente forte, e a mais forte, porque ela é a personagem que se lança nos desafios sem pensar duas vezes, a fé dessa mulher é inabalável e ela não é mais uma menina que sofre por ter deixado a família para trás, ela é uma mulher que agora tem filhos, marido e precisa lidar com as dificuldades de ser pagã. Por que, embora a inquisição não tenha vindo ao Brasil, a perseguição se fazia presente e os padres que perseguiam, ou matavam, ou levavam de volta para Portugal para enfrentar a inquisição. E por que este é meu cenário favorito? Por que eu simplesmente me impressionei com a chegada ao Brasil, por que os índios também tinham sua cultura pagã, e não apenas os índios, mas também os negros que vieram como escravos.
Eu falo do crescimento de Daniele, mas vale ressaltar o crescimento dos homens também, pois Antônio, que já tinha a imagem de homem turrão, trabalhador e destemido, passa a ser uma imagem forte dentro de todo o contexto. Ele é um grande companheiro à Daniele, um pai surreal para seus filhos e o homem mais respeitado na fazenda que os acolheu na chegada ao Brasil. Os patrões tinham um enorme carinho pelo casal e seus filhos.
Ouso falar até mesmo de Mateus, que se tornou um guerreiro protetor da família de Antônio, e cada vez mais crescido e esperto. Por que quando eles partem de Portugal, Mateus ainda era uma criança, que chorava pelos pais, sentia falta e tinha a companhia de seus brinquedos e mimos e, quando ele chega ao Brasil, embora ainda seja um menino, começamos a acompanhar o crescimento ao decorrer dos anos de todos estes personagens, inclusive Mateus. Esse é um ponto excelente, não apenas em Samhain, mas em todos os outros livros. Simone sabe exatamente como construir e evoluir um personagem junto da história e por isso me perdi tanto entre as linhas e devorei rapidamente os três livros.
Mas, a partir de determinado ponto da história, passamos a compreender a verdadeira missão que levou Daniele ao Brasil, que ela mesma não compreendia e sabia que não estava no fim; contamos novamente com a presença de Guilherme que voltara na esperança de ter Daniele de volta e uma encruzilhada separa mãe e filha mais uma vez por uma tragédia que ao mesmo tempo se torna uma bênção no final, e a história passa a ser contada, agora, por Tereza, filha de Daniele.
Mas, por que tragédia e ao mesmo tempo uma bênção? Bem, vamos dizer que aprontam para Daniele, o que a separa de sua família. Os índios a levam para a mata onde podem cuidar dela, levando Mateus consigo, que depois volta para levar Antônio que lamentava a morte do bebê Antoninho. Então, um explorador misterioso, de cabelos ruivos, aparece e se identifica com Mateus. Ele começa a contar sua história ao menino de quatorze anos, que por seus recentes atos de manter sua família segura, o fez um homem. O explorador revela que foi apaixonado por Gleide e que tinha uma filha chamada Adele, mas que fora expulso da vida de Gleide por ser apaixonado por ela e, como conhecemos Gleide bem, já sabemos o que isso pode ser para ela. Gente, eu chorei horrores nessa parte, porque é a parte mais emocionante de Samhain. Ele parte com a família de Antônio para suas terras, onde eles podem desfrutar da vida em segurança, deixando, assim, Tereza e o tio Guilherme para trás com uma nova promessa: manter Tereza em segurança, e dessa vez ele não iria falhar.

beltane

Em Beltane, Tereza já está crescida, entrando na fase adolescente onde se torna mulher e a mulher que cuidou dela durante anos está adoentada.
Daniele vive com Antônio em terras afastadas de seu avô cultivando a prosperidade com mais duas filhas que tivera e Antônio aparece para fazer uma visita à Tereza na fazenda. No dia da visita, ela se dá com Miguel Seixas, o sobrinho da mulher que ferrou com Daniele em Samhain (ou que pelo menos ajudou a ferrar). Miguel está tentando, junto de seus escravos, a domar um bezerro que escapou de sua fazenda. Tereza torcia pela bezerra enquanto assistia, embora censurada pela Ama. Ele conseguiu capturar a Bezerra e foi convidado a entrar na casa. Miguel cumprimentou a “avó” de Tereza e foi convidado a retornar com as irmãs quando quisesse. Ele pediu permissão para que levasse Tereza para ver a Bezerra já que notara o quanto ela torcia pelo animal e, assim que se aproximaram e ela passou a mão na bezerra, perguntou se ela teria um nome. Miguel sugeriu que ela lhe desse um nome e a bezerra foi batizada de Finola. E, embora Tereza ainda fosse uma criança em transição, eles se apaixonaram naquele momento.
Mais tarde, o pai de Tereza chegou com o “avô” dela e mais um índio. Ela o reconheceu, apesar dos anos, e não se desgrudou de Antônio que sentia-se nostálgico de estar lá, onde o pequeno filho foi morto e sua filha havia permanecido. Ele tinha intenções de levar Tereza embora, que não sabia que a mãe estava viva.
Guilherme também veio recebê-los e teve sua presença notada pela irmã mais velha de Miguel, Catarina, que desde sempre foi apaixonada por ele e queria ter um pouco do brilho de Daniele. Ela se sentia culpada pela “morte” de Daniele e sua irmã Lara, que também sofria nas mãos da tia, também queria se ver livre da censura. Catarina e Guilherme tiveram uma noite de amor num casebre que o pai da moça havia construído para ficar longe da madrasta e tia dos filhos. Essa noite de amor ficou pregada na mente de ambos por muito tempo depois do ocorrido.
Mais tarde, Antônio disse que Tereza deveria escolher partir ou ficar e que, embora ele quisesse que ela fosse com ele, ela deveria escolher. A menina havia escolhido ficar ao lado dos avós que tanto amava, por que no fundo ela sabia: seu caminho estava ali, a missão que deveria realizar estava bem ali. E na partida de Antônio, algo inusitado aconteceu: a irmã de Miguel, Lara, havia fugido de casa para ir junto deles, e o índio, junto da moça, o convenceu a levá-la junto.
E os anos se passaram, Tereza se tornou uma mulher e o filho do casal que cuidara dela, Henrique havia retornado. Eles eram prometidos em noivado assim que atingissem a idade adulta, o que foi revogado quando Antônio partiu. Henrique não sabia e olhava Tereza com desejo assim que a viu. O mau humor dele afetou toda a casa quando soube que não se casaria com Tereza e não tinha a permissão do pai de ser um pretendente. Miguel novamente reapareceu, num momento que Tereza se viu triste por ter ouvido tantas coisas cruéis sobre sua mãe, ela era acompanhada de uma escrava Iáiá que chamou Miguel quando o viu do outro lado da cerca e ele trouxe felicidade de volta ao rosto de Tereza. Naquela noite, ele foi convidado com a irmã Catarina para jantarem ali e ele havia pedido permissão para namorar Tereza, o que foi consentida por Guilherme e o avô da garota, provocando a ira de Henrique e jogando a verdade na cara de todos: foi a madrasta de Miguel que entregou Daniele à igreja, provocando sua morte e a morte do irmãozinho de Tereza. Além disso, na mesma hora, a morte da avó veio como um tapa na cara que deixou Tereza baqueada.
Ok que, mais pra frente, tudo se resolve por meio de Guilherme, que conta a verdade para Tereza, revelando também que sua mãe continuava viva, mas que era um segredo para mantê-la segura e assegurando que Miguel e suas irmãs nada tiveram em participação do ocorrido, deixando apenas a madrasta e tia deles com todo o crédito.
Um casamento foi marcado, não antes de Henrique tentar abusar de Tereza que estava sob uso de Láudano, uma droga usada como entorpecente para domar meninas que a Ama estava usando nela. Iáiá foi quem percebeu o que estava acontecendo e mandou chamar o tio de Tereza, dando uma pancada na cabeça de Henrique que havia rasgado o vestido de Tereza, que não conseguia se defender e chorava com medo.
Não é preciso ser adivinho para saber que Henrique foi espancado por Guilherme e pelo pai que tomou a decisão de casar Tereza com Miguel e partir à Portugal em seguida para manter Henrique o mais longe possível daquela nova família que se formava. E, também, depois de tanto tempo, Guilherme também se casa com Catarina, descobrindo nela o verdadeiro amor que ele buscava quando veio ao Brasil.
O tempo passa novamente e desta vez ele traz Mateus, irreconhecível, um homem feito e tendo Lara como sua companheira. Eles vieram à nova casa de Tereza, para uma visita, carregando uma criança e a notícia dos pais de Tereza, e um novo ciclo começa. Esse novo ciclo nos leva para 1918, onde conhecemos Adelaide, trancafiada num convento que se apaixona por um jovem padre que é enviado ao convento pelo bispo. A história de Adelaide é bem curtinha, mas as freiras do convento a drogam com Láudano e logo vemos uma jovem incapaz, que é chamada de bruxa e renegada pelo pai por uma briga entre irmãos em que um acabou morrendo e o outro acusou Adelaide de tê-los enfeitiçado um contra o outro por ser tão bela. E ali estava ela, dando continuação a linhagem de Gleide, onde tantas como ela lutaram por suas vidas contra a perseguição. Mas o que esperar de Adelaide? Ela é quem dá as cartas finais de Beltane.

♠ ♠ ♠

De todo meu coração espero que você, meu leitor, leia essa trilogia. A Simone é fantástica, uma escritora brasileira excelente, e eu com certeza quero ler seus outros inúmeros livros. Peço desculpas se eu dei muitos spoilers (rsrsrsrs), mas ainda assim, espero que tenha chegado até aqui e com curiosidade o suficiente para comprar a Saga As Filhas de Dana. Livros que leria novamente com certeza e recomendo. 5 estrelas com toda certeza!!
Um enorme beijo no coração.

Livros Novos – #mêsdeoutubro

Pra começar bem o mês de outubro, o mês das bruxas, embora já estejamos quase no meio do mês, por que não começarmos com livros novos de assuntos referentes ao dia 31 de outubro e sua história, entre outros?

colecao-nova-final

No decorrer desses 12 dias que se passaram, tive o prazer de aproveitar algumas promoções, dentre elas aquela da Estante Virtual que deu frete gratuito há um tempo atrás em quase toda a livraria. Também troquei livros no cebo perto de casa e comprei a trilogia Jogos Vorazes de uma menina de um grupo de vendas e trocas de livros.

anjos-caidos-e-beijada-por-um-anjo-final

Eu comecei trocando livros no cebo. Livros de outras pessoas que tinham sido dados pra mim e que não me interessavam, ou livros que há muito tempo tinham sido dados a mim e pertencia a algum assunto como religião, autobiografia de alguém que eu nem conheço, etc. Enfim, livros que eu não tinha interesse algum e troquei no cebo. E não precisei escolher muito, peguei Anjos Caídos e Beijada por um Anjo que há muuuuuitíssimo tempo eu estava desejando ardentemente e não achava na internet. E eu peguei esses livros em condições perfeitas, então a minha felicidade foi maior ainda quando me apossei deles.

jogos-vorazes-final

Depois que eu fiz a promessa na Bienal de que não compraria mais livros até o ano que vem, me vem alguém vendendo num grupo de trocas e vendas de livros da cidade, o quê? Mais livros! E no meio desses livros, a trilogia de Jogos Vorazes, que eu não comprei na Bienal por achar caro demais num valor em torno de R$130,00, e olha só, paguei o quádruplo mais barato e em perfeito estado, num valor de R$30,00 ❤

saga-das-filhas-de-dana-final-copiar

De praxe, a Estante Virtual ainda lança uma promoção dando frete grátis para quase toda a livraria. O que na verdade, pra mim, não foi nada grátis, mas pelo menos paguei super barato de alguns livros que custam horrores na internet. E eu há muito tempo estava de olho na trilogia As Filhas de Dana da autora brasileira Simone O. Marques. Nem é preciso explicar que a história se trata de bruxas e é um livro super propício ao dia das bruxas, pelo título de cada um já da pra perceber e as capas são maravilhosas, as páginas todas decoradas numa simplicidade e cuidado.

a-guardia-do-portal-e-feiticeiras-de-east-end-final

E nessa mesma compra que realizei na Estante Virtual, embora de cebos diferentes, veio também A Guardiã do Portal e As Feiticeiras de East End. Livros tão desejados quanto os outros acima.
Bem, A Guardiã do Portal é um livro que estou me preparando há mais ou menos uns 5 anos para ler, já que o primeiro volume me deixou totalmente atormentada pela história. Também se trata de bruxas e vou dizer: se for começar por este, não leia durante a noite, por que este livro vai tirar seu sono!
As Feiticeiras de East End foi uma tentativa de suprir minha sede pela série Witches Of East End, inspirada no livro e que foi cancelada na segunda temporada 😦
Aliás, quem quiser ajudar na petição online que está rolando há um bom tempo para a renovação dessa série maravilhosa que eu super recomento é só CLICAR AQUI e ajudar. Por favor, nunca te pedi nada ❤ e essa série precisa voltar.

Agora é sério, não compro mais livros até o ano que vem, por que nessa brincadeira toda fiquei pobre </3
Beijo pra quem fica e até a próxima 😀

Resenha: Bonsai – Alejandro Zambra

Autor: Alejandro Zambra

Ano: 2006

bonsai

mas naquela noite ambos descobriram as afinidades emotivas que com um pouco de vontade qualquer casal é capaz de descobrir.”

        Uma resenha muito prevê para um livro curto, pequeno, assim como o titulo indica. Bonsai é uma história de amor compacta, sem  firulas, enfeites, e enrolação . Mesmo assim não perde sua beleza, assim com o Bonsai , que é uma miniatura de uma árvore sem deixar de ser uma árvore.

       Bonsai é uma história de amor entre Júlio e Emília, de como se conhecem, se apaixonando e rompem. Ela morre no final, ele fica sozinho. E isso nem é um spoiler porque o autor joga na cara do leitor logo no início do livro, no primeiro parágrafo da primeira página. O que nos motiva a continuar lendo essa história é como, porque, esses eventos aconteceram.

      Eu pessoalmente adorei o livro, adorei a genialidade do autor em escrever um romance e cortar tudo que a gente gosta, que é a enrolação, o desenvolvimento dos sentimentos, o sofrimento, entre outras coisas. Zambra resume tudo isso em poucas linhas. Ele conta com maestria a história inteira desse casal em poucas páginas sem perder a essência  e o interesse do leitor.  Diria que Bonsai é um romance cru, o autor vai direto ao ponto, onde tudo é muito claro, onde eles estão indo. Pelo menos foi pra mim.  Minha parte favorita foi “Tantalia”, um conto do Macedonio Fernández.  Leiam e descubram como esse conto se encaixa nessa pequena intensa história de amor.

Resenha: Cidade dos Etéreos & Biblioteca de Almas

Crianças, hoje vamos falar de dois livros de uma vez! Depois de O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares (ufa!), vamos de Cidade dos Etéreos e Biblioteca de Almas, as sequências do primeiro. Não aguentei e tive que ler correndo para saber como acaba a saga dos peculiares. Bem, digamos que, poderia haver diversas novas histórias, mas esse episódio chegou ao fim e estou torcendo para que o autor, Ransom Riggs, nos presenteie com novas histórias. Bom, vamos às resenhas, com aquele aviso de sempre: cuidado com spoilers. Tento não ser muito estraga prazeres, mas nunca se sabe quando você vai se sentir spoilerizado!

Continue reading Resenha: Cidade dos Etéreos & Biblioteca de Almas

OMG!! Tem SORTEIO chegando 😱😱😱

Primeiramente, bom dia a todos!!
Segundamente, a equipe do Estação Imaginária agradece humanamente termos chego a este momento: o momento de um sorteio em comemoração aos nossos primeiros e únicos 1k de seguidores no instagram!!

sorteio-de-1k

Há alguns meses prometemos que este sorteio aconteceria, mas acabamos por não divulgar muito e deixar as coisas acontecerem. Na época tínhamos metade de seguidores do que temos hoje. E como prometido, aqui ele está e veio pra ficar para a alegria de vocês ❤

Para participar é muito fácil, basta seguir as regrinhas abaixo:

  1. Acessar nosso instagram >>> @estacaoimaginaria
  2. Seguir nosso perfil;
  3. Curtir a imagem colorida do sorteio;
  4. Marcar 3 amigos por comentário (lembre-se que quanto mais, mais chance de ganhar você tem);
  5. Não vale marcar amigos desativados ou perfis de famosos, ok? 😀
  6. Residir em território nacional

O resultado do sorteio sairá aqui, no nossa insta e respectivas redes sociais no dia 30 de outubro às 23h. Os três ganhadores terão 24h para reclamar o prêmio ou será realizado um novo sorteio.
Lembrando que, não nos responsabilizamos pela entrega dos livros, uma vez que será realizada compra online por lojas como Submarino / Saraiva – que será enviado diretamente para o nosso ganhador.

E para o primeiro colocado reservamos a escolha de um destes dois livros maravilhosos ❤
Para o segundo colocado: um pack de marcadores (e não são poucos) que pegamos na Bienal do Livro; E, finalmente, para o terceiro colocado: nossos próprios marcadores.

Não é ótimo?

Então venham participar!!! Que a sorte esteja ao seu favor 😉

Resenha – Social Killers.com

fad43140-0d4e-4a1d-bd35-6446d4aaeddd

“Porque a todos é concedido ver, mas a poucos é dado perceber. Todos veem o que tu aparentas ser, poucos percebem aquilo que tu és”.

Maquiavel

Esta frase caracteriza todo o conteúdo deste livro, então, não se impressione somente com a sofisticação da belíssima capa platinada, pois não é tão magnífica quanto o seu conteúdo.

Por acaso, não é assim que agem os psicopatas no mundo virtual? Eles estão dispostos a tudo e, para atrair suas vítimas, precisam apresentar algo convidativo aos olhos delas, ser tudo o que todas elas desejam, mas, no seu interior, eles escondem o que realmente são e, infelizmente, as vítimas só se dão conta da existência desse perigo quando se veem cara a cara com o mal.

Com o surgimento das redes sociais, crimes de todos os tipos vêm ocorrendo constantemente, graças à grande facilidade das pessoas de se conectarem uma com as outras, em qualquer lugar no mundo, o que facilitou a interação das pessoas. No entanto, não é nenhuma novidade os crimes envolvendo o mundo virtual, todos os dias, seja na TV ou jornal, estamos sempre sendo alertados sobre os perigos no interior do mundo virtual, mas nem isso parece ser o suficiente para aumentar a vigilância das pessoas com quem elas andam se conectando.

Quando ouvimos relatos de um crime passional envolvendo o mundo virtual, temos a nítida impressão de que estamos ouvindo o mesmo noticiário. Mas, infelizmente, a resposta é não. Espantosamente, casos desse tipo se repetem todos os dias. Talvez, por esse motivo, a Dark Side Books trouxe aos leitores o livro “Social Killer.com – Amigos virtuais, assassinos reais”, escrito por RJ Parker e JJ Slate.

O livro aborda crimes chocantes que ganharam as paginas policiais, antes e após o mundo digital, envolvendo assassinos que atraiam suas vítimas por meio de catálogos de jornais, seja na contratação para um emprego inexistente, estupradores dos classificados, que entravam em contato com mulheres que vendiam itens domésticos. Mas nada supera os crimes envolvendo o mundo cibernético. Por mais que eles digam quem são, seus olhos jamais enxergarão do que suas mentes perversas são feitas.

“Pessoalmente, Anthony Powell podia até parecer um sujeito normal, mas quem o visse na internet logo perceberia estar diante de uma pessoa desequilibrada”

Verdade seja dita, a internet facilitou a vida de todos e vem evoluindo cada vez mais. Não, isso não é ruim, mas existe um grupo especifico de pessoas que também veem evoluindo seus métodos para caçar suas vítimas. As pessoas são ingênuas ao liberarem informações pessoais demais nas redes sociais e parecem descrentes com os perigos que as rodam, atraindo para si esses tipos de predadores. Se vocês são do tipo de pessoas que precisam de muito para se convencerem, eu os desafio a ler este incrível livro, preparado para alertar todos vocês. O mundo virtual de um sonho pode se transformar num pesadelo real.

“Não se esqueça de que eu só tenho 12 anos”

Social Killers.com

 

Resenha – O Chamado do Cuco

o-chamado-do-cuco-capa

Sou apaixonado por romances policiais e, quando comecei a ler O Chamado do Cuco, de Robert Galbraith (pseudônimo de J. K. Rowling), percebi que ele não me decepcionaria nesse estilo. Não foi diferente. A história é surpreendente e conta o envolvimento do detetive particular Cormoran Strike, falido e sem aquela fama necessária para o seu sucesso com um verdadeiro chamado de Cuco, como alguns amigos conhecem a supermodelo Lula Landry. É a chance de ouro de Strike, sem ele perceber. Mas investigar um aparente suicídio não é tarefa fácil e é a partir desse momento que toda a história começa a se desenrolar. Alerta de spoiler, você foi avisado! Confesso que abusei dessa vez…. eu acho!

Continue reading Resenha – O Chamado do Cuco