Locomotiva Literária

Resenha – O Chamado do Cuco

o-chamado-do-cuco-capa

Sou apaixonado por romances policiais e, quando comecei a ler O Chamado do Cuco, de Robert Galbraith (pseudônimo de J. K. Rowling), percebi que ele não me decepcionaria nesse estilo. Não foi diferente. A história é surpreendente e conta o envolvimento do detetive particular Cormoran Strike, falido e sem aquela fama necessária para o seu sucesso com um verdadeiro chamado de Cuco, como alguns amigos conhecem a supermodelo Lula Landry. É a chance de ouro de Strike, sem ele perceber. Mas investigar um aparente suicídio não é tarefa fácil e é a partir desse momento que toda a história começa a se desenrolar. Alerta de spoiler, você foi avisado! Confesso que abusei dessa vez…. eu acho!

J. K., de início, nos impacta com a cena de Lula Landry morta em frente ao seu apartamento, na tão famosa Londres. A neve, misturada ao sangue da modelo, dão o tom daquilo que teremos ao longo do livro: uma investigação perigosa cercada de mistérios. Logo no primeiro capítulo, a autora me impressiona por trazer algo tão real e atual à história: o assédio da imprensa por pessoas famosas e a morbidez de ‘jornalistas’ em busca da melhor história. Na verdade, toda a história tem reflexos da cobertura da imprensa, como isso impactou as calmas ruas de Mayfair.

Meses se passam e então nós conhecemos Robin Ellacott, uma secretária em busca de um emprego que vai parar, temporariamente, no escritório de Cormoran Strike. Algo bem interessante que achei no livro foi que meses após a morte de Lula, J. K. começa a falar da rotina de Robin e como ela vai parar enroscada na turbulenta vida de Strike. A verdade é que Robin é meticulosa, detalhista e é muito prestativa. Tanto que, de cara, impacta a vida de Strike. Mas enfim, não entrando em muitos detalhes, o importante é que Robin será crucial para a solução do caso, mas não, ela não é a protagonista.

Voltando à história em si, o chamado de Cuco vem do irmão de Lula, John Bristow, que acredita piamente que a irmã, na verdade, foi assassinada. Ele procura Strike para investigar o caso, que reluta de início, mas aceita, o que, na minha visão, pareceu até uma misericórdia. Ele precisa de dinheiro, não pode negar um caso. Mal sabia ele no que estava se metendo…

A esperança, tão brevemente reerguida pela novidade de que ele podia ter um cliente, tombou lentamente como uma lápide de granito e bateu como um golpe agonizante nas entranhas de Strike. O homem sentado diante dele era um delirante, se não verdadeiramente insano. – Pág. 31

Vou parar de contar a história. Vou me ater às minhas impressões sobre o livro pra não dar spoilers não desejáveis. Bom, eu sou detalhista e gosto de detalhes nos livros. O Chamado do Cuco é cheio deles e, como não poderia ser diferente, faz a história ficar ainda mais interessante. Não sei se concordam comigo, mas, detalhes em um romance policial é uma sacada genial, pois faz você entrar na história, se atentar às mínimas particularidades e ser também um detetive, tentando encontrar a verdade.

o-chamado-do-cuco-pag-33J. K. é tão rica em palavras, ideias e detalhes que o fim não poderia ser mais surpreendente. A história em si me rememorou aos clássicos de Agatha Christie em que o detetive tem tudo em sua mente, toda a história maquiada e a revela como uma bomba nas últimas páginas do livro. E sim, é uma bomba. Algo totalmente inesperado. Confesso que pensei em mil coisas, mas nunca poderia imaginar toda a verdade desse sangrento mistério de J. K. Algo que me surpreendeu e eu gostei bastante foi que enquanto Strike procura pela verdade, os dramas de sua vida particular se contrastam à investigação. A autoria conseguiu juntar as duas coisas e tornar a história ainda mais rica.

Meu conselho é único e repetido: leia! Eu me surpreendi e tenho certeza que você também vai, se é fã de mistérios policiais e se não é, vai começar a ser. Esse tem todos os elementos e tem até uma pitada de humor, vista na relação de Strike com Robin (somente profissional, já adianto). Esse foi somente o start para uma carreira brilhante que J. K. trilhou para o detetive. Não vejo a hora de ler as próximas aventuras de Strike e conhecer um pouco mais de seus dramas e sua genialidade.

Ficha técnica

O Chamado do Cuco

Autor: Robert Galbraith (pseudônimo de J. K. Rowling)

Editora: Rocco

Ano: 2013

448 páginas

Advertisements

One thought on “Resenha – O Chamado do Cuco

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s