Locomotiva Literária

Resenha: Beijada por um Anjo Vol.1 – Elizabeth Chandler

Quando comecei a ler Beijada por um Anjo, livro que já vinha desejando desde muito tempo e, por pura sorte, o encontrei num sebo perto de casa para trocar com uma pilha de livros que tinha, eu não botava realmente muita fé. Foi um livro rápido, eu demorei apenas dois dias para ler, mas que me deixou com aquela pulga enorme roendo minha orelha. Não posso afirmar que de longe foi o melhor livro que li na minha vida ou que é meu livro favorito daqui até a eternidade. Mas ele me agarrou de uma forma que agora estou frenética para saber mais.

No começo, parecia só uma besteira com anjos, uma crença idiota da protagonista, nada parecia ter ligação direta com anjos e coisa e tal, por isso achei meio sem graça e cara de Fallen. Não, definitivamente Fallen é melhor. Esse era meu pensamento até quando comecei a ler Hush Hush e veja só agora, Hush Hush é minha série favorita no tema. E, embora eu goste de Fallen, eu não consigo dizer que é melhor que Hush Hush, embora a história dele fale sobre reencarnações, karma, maldições e tudo o que faz de Fallen o Best Seller mais famoso no tema e o favorito de todo mundo. Não me julguem por preferir Hush Hush. É por que simplesmente o Patch é diferente de qualquer outro protagonista (tirando o Noah – A Desconstrução de Mara Dyer – e o Daemon – Obsidiana).
Mas, bem, essa não é uma resenha ou crítica sobre as duas sagas, né? Então vamos falar sobre Beijada Por Um Anjo, pow!

beijada-por-um-anjo-resenha

A história é bem simples, logo de cara quando você inicia a leitura você começa a se perguntar: por que raios o livro se chama beijada por um anjo se só tem a crença de Ivy como ponto de referência?
Meu caro leitor, você vai ter uma base no final deste livro para o próximo (talvez, por que não li ainda os outros volumes, mas pela sinopse já da pra ter uma noção). E não é que eu não queira explicar, mas eu não posso explicar sem revelar spoilers, embora a sinopse em si já dê alguns spoilers pesadões. Mas não desistam desse livro, ele é um amorzinho, você logo vai se apaixonar por Tristan e perceber como é impossível um cara assim existir e como o amor dele e de Ivy é um amor livre. A leitura é leve, não é demorada, demorei apenas dois dias pra ler, pois ele tem as letras um pouco volumosas, a capa dele é super simples e aquilo que eu chamo de: menos é mais! Além das páginas amareladas que eu amo. Não sei se porque peguei no sebo ou se já é assim mesmo, mas quem me conhece sabe que, pra mim, esse é o ponto principal para um livro me conquistar. Não é nem a capa ou a sinopse, mas sim as páginas amareladas. Dá pra entender? Não, obviamente que não kkkkkkk #coisasdeleitora.

“-Anjos  de luz, anjos queridos, cuidem de nós. Cuidem de quem mais fica comigo.”

Bom, esta resenha não é comprida. A partir daqui vou separá-la por pontos positivos e negativos da história. Eu começarei a fazer minhas resenhas assim, mas tome cuidado, pois sempre a partir daqui terá um aviso de spoilers. Então não briguem comigo se eu soltei o verbo aqui e vocês decidiram avançar. Bele?

AVISO: CONTÉM SPOILERS

01

O que eu mais gostei nesta história foi o título. Eu sou uma viciada em anjos e coleciono tudo sobre anjos, desde livros, até penas de ganso que imitem ou lembrem dos anjos. Então o título e a capa serviram de grande ajuda, foi o meu início, eu sempre quis ler essa série e tive a oportunidade quando fui trocar livros no sebo. Ele estava ali pra mim, foi o primeiro que vi e não pensei duas vezes.
Segundo que me vi muito em Ivy por sua crença nos anjos, por que, segundo ela, foi salva de morrer afogada por um anjo. Ela o descreve com amor e beleza e narra o fato. Aos poucos ela é ajudada por Tristan a combater o seu medo. Ele se aproxima dela de maneiras diversas e impensáveis, sendo adotando a gata dela ou a salvando de cair do trampolim na piscina. Ele é o herói de Ivy durante toda a história. Quem não se apaixonaria desse jeito?

“Lá em baixo, a piscina parecia dançar, coberta por uma névoa. Tentou se concentrar no trampolim. Não conseguia. Era como se a água viesse na sua direção, pronta para engoli-la. Depois recuava, voltando para baixo. Ivy cambaleou. Uma perna foi ao chão.

-Oh! -ouviu-se nas arquibancadas.

A outra perna foi ao chão, saindo do trampolim. Ivy agarrou-se com o desespero de um gato. Estava pendurada, metade no trampolim, metade fora -Alguém a ajude! -gritou Suzanne.
Anjos das águas, rezou Ivy silenciosamente. Anjos das águas, não me deixem cair. Você me ajudou uma vez. Por favor, anjo…
Então ivy sentiu seus braços tremerem com o movimento do trampolim. Suas mãos estavam úmidas e escorregadias. Solte, disse a si mesma. Confie em seu anjo. Seu anjo não vai deixar você se afogar. Anjos das águas, rezou pela terceira vez, mas seus braços não soltavam. O trampolim continuou a vibrar. Suas mãos estavam escorregadias e começavam a soltar.

-Ivy.

Virou o rosto ao ouvir a voz, batendo a bochecha no trampolim. Tristan tinha subido a escada e estava do outro lado do trampolim. -Vai dar tudo certo, Ivy.”

Outro ponto positivo é o mistério que se instala na história. A morte da mãe de Gregory, irmão postiço de Ivy, e a sabotagem que é feita no carro de Tristan, o que o leva a morte e deixa Ivy levemente ferida. Galere, Tristan morre no final (chora 😦 ) e antes de que ele monte o raciocínio de que foi sabotado, eu já estava farejando isso, e eu estou louca pra ler a continuação por que tenho minhas suspeitas de quem pode ter sido. E, além de morto e invisível aos olhos de Ivy, que não acredita mais nos anjos, ele é ajudado por uma atriz famosa que havia morrido no passado. Ela é cômica, o humor dela é negro e eu quero ver essa personagem se desenvolver, na verdade, eu acredito no desenvolvimento dela nos próximos volumes e no de Tristan com a ajuda dela.

02

Bom, não precisa ser exímio pra saber o que me desagradou nesse livro. E sim, eu falo da morte de Tristan, embora eu já esperasse que fosse acontecer, mas não da forma descrita no livro, o que ficou, realmente, cara de caô. Eu odiei o sofrimento de Ivy, que se enlutou e se torturou, quebrou todas as estatuas de anjos, nem quis mais acreditar nos anjos que a vida toda ela pensou estarem com ela.
Essa sem dúvida foi a parte que menos gostei do livro, mas que achei necessária para ter uma continuação, para que a história se desenvolva de um jeito que nos agrade.
Também detestei o casamento da mãe de Ivy com o pai de Gregory, achei uma bosta, literalmente, por que odiei o Gregory e acho que ele pode ter muito a ver com a sabotagem do carro de Tristan, pelo menos ele e os amigos, ou algum amigo próximo dele que não gostava do nosso herói, e também por que acho que ele vai se aproveitar muito de Ivy. Isso, na verdade, é bem presente no começo do livro, antes de Ivy namorar com Tristan, ele a provocava e no dia do casamento chegou a beijar Ivy na boca. Então, eu definitivamente não gosto de Gregory, mas posso estar errada, certo?

♠ ♠ ♠

Bom amores, chegamos ao fim de mais uma resenha, eu espero que tenham gostado, embora, bem curtinha e vocês sabem que eu adoro falar, interagir com vocês. Eu espero que vocês leiam ou considerem com carinho essa recomendação de leitura. Beijos pra quem chegou até aqui, e se você já leu, comenta nos comentários o que achou, quais foram seus pontos negativos e positivos acerca da história ❤

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s