De A até Z

casal

Deixa eu plantar esse amor que tenho por ti,
Uma única semente, pois plantei meu coração.
Venho do meu futuro pra falar pra ti:
Teve várias fazes desse meu amor.
Era inicialmente,
Um broto,
E logo era flor.
Mais bonita que as outras,
Mais cheirosa que todas.
Logo cresceu, rápido eu sei, mas quem plantou fui eu.
Então virou árvore!
Que estranho essa fase, casca grossa, mas delicada como ninho das aves.
Cravei na casca um coração, com nossas iniciais de A até Z, assim todo o alfabeto pode nos entender.
A árvore foi crescendo, e o coração lá.
Então entenda: Não importa o quão longe nós estamos do topo, o amor dura para sempre, está cravado no tronco.
O coração não subiu, mas o amor cresceu, pois plantei o coração e com sua essência eu reguei.
Te amo amor, fica bem, é dia dos namorados, dia da floricultura, vou gastar milhões para criar uma plantação de amor digna de ti. Vou ser espantalho para espantar o mal daqui.

 

Foto: Pinterest

Eyes, Eyes… Eyes!

tumblr_oaee53en8q1tt42qzo1_500

Venho por meio desta nota contar-lhe tudo que aprendi comigo mesmo: Eu entrava nas redes sociais e via sempre dois nomes que apertavam meu coração, e que faziam minha mente vibrar… Ambos os nomes… paixões falhas devido aos meus erros, mas tudo bem, quer dizer, eu acho. Ambas tinham lindos sorrisos, brancos e brilhosos, ambas tinham cabelos macios, lisos e cheirosos, porém cada qual com olhos “exclusivos”, uma de claros olhos que lembram por de sol, e a outra com olhos de nascer de lua, pura penumbra… Aprendi com aqueles olhos, que mesmo de longe, se bem visto, refletem o sorriso de quem vê, que penetram a alma de quem procura ver. Hoje aqueles olhos não regem um pingo de luz, pelo menos não na minha direção. Nem com mil relógios rodando o tempo você esquece o olhar de quem você ama ou já amou, eu deixei passar o tempo e os relógios viraram os olhos que não brilham, faziam o tempo não passar. Eu devastei minha mente, a procura da semente que gerou o fruto do amor, cacei por eras… ou não. Achei então uma folha amarelada com o seguinte dizer “quem você já amou, você sabia que amaria; e quem você amará, isso você ainda não se tornou“. Estava eu pensando outrora como eu poderia me tornar quem amo. Aí lembrei, sou da carne gerada do amor dos meus pais, minha mente é da poeira dos pensamentos do destino… destino, uma palavra tão pequena que designa algo tão extenso. Eu deitei realmente por muito tempo, dormir por tempos e tempos, na manhã que acordei, vi a sombra de um assassino, vi minha própria sombra, eu havia matado quem eu era antes… Tornei me vazio e sem paixão, um morto ambulante, um ser sem razão. Pelo menos até eu trombar com aqueles olhos de novo, que maldito me tornaram, com amor inundaram, e em mim mesmo me afundei. Sabe o poder dos olhos das mulheres nos homens? Tão poderosos quantos hipnose ou lavagem cerebral, olhos belos não esquecemos, e de olhos belos vivemos. Aprendi com o sono, que somos apenas uma casca, os olhos são portas pra deixarem os outros entrarem em você, jamais deixar, jamais esquecer. Faz muito tempo que não vejo ela sorrir por minha causa… mas é cada olhar que eu a vejo dar, mesmo que de ódio de mim… Lembra dos sorrisos? Nenhum deles era tão feliz quanto o meu quando eu as via, mesmo que sejam olhares de ódio em sorrisos de amar. Aprenda com o tempo, que temos todo tempo pra observar.

Cárcere Ilusório

Já deu o tempo.
Na prisão, sou prisioneiro.
O guarda não libera nada.
Nem luz, nem alimento, nem água.
Me sinto como um animal, porém na jaula.
Não sei ao certo quem é você nessa história.
Não é túnel, mas me faz fugir dessa prisão.
Tu não tem pá nem colher, mas cavou até meu coração.
Não trouxe nem sol nem lua, trouxe liberdade, nua e crua;
Trouxe o futuro, a esperança, uma chance pra mim.
Trouxe ao mundo uma nova vida, a minha, a sua, sem volta, só ida.

Umideessencia

Tá tudo bem, a chuva cai…
Muito além, do que se tem.
Pra chover, pra chorar, pra encher.
Deixa que a alma guie vossa pessoa,
Deixe que o vento leve vossa coroa.
Saia desse trono, você não é de sangue real.
Tu mal existe nos pensamentos.
Imagine ser princesa do meu mar.
Quem dera, eu pudesse controlar.
A tempestade chega independente do lugar,
Por isso me sobre ponho, sobre seu corpo.
Sou sua capa de chuva, guarda chuva, guarda o teu amor.
Um receptáculo também de dor.
E se minha alma escorregar e eu não puder alcançar,
Como vou seguir, como vou contar,
Histórias tão chuvosas, tão molhadas quanto mergulhar?
Mergulhar na tua mente, certamente vou me afogar.

Velha Amiga

Não sou eu que me arrisco todo dia,
É a morte que gosta de me olhar.
Quer fazer feitos como os meus.
No mais bruto sentido, quer viver, se realizar.
Difícil dizer isso, mas ela quer me imitar.
Ela é uma velha amiga.
Uma velha chegada.
Conheci antes mesmo de nascer.
Ela conversava comigo, todo amanhecer e entardecer.
De noite ia em bora, visitar os meus avós.
Tomar o chá da meia noite.
Sabe como é!?
Pro espírito acalmar.
Coitada da minha amiga,
Vai ter muito a esperar.
Não vai me abraçar tão cedo,
Muito menos me tocar.
Às vezes ela sussurra,
Às vezes ela chora,
Mas toda manhã eu percebo
Que ela chega sempre na hora.
Mas toda noite eu observo
Que ela sempre vai embora.

Amargo

E por tudo que eu disse a ti
Eu queria me desculpar com você,
Queria dizer coisas bonitas,
Coisas que poderiam descrever você,
Cabelos, sorrisos, olhos tranquilos;
Vozes, palavras, manias perdidas;
Sentimentos, falta de alegria;
Raiva, coragem, ódio e amor.;
Tanta coisa pra você.
Tanta alma querendo ser
A alma gêmea de outro ser.
Basta buscar, querer encontrar.
Basta querer, basta tentar.
Mas apesar de tudo,
Juro que tentei me desculpar contigo.
Mas agora já nem sei,
Procuro aqui comigo uma parte tua.
Nem que seja… pura amargura.

Graças e Por Você

Eu me importo.
Só não sei, o que fiz.
Me desculpo, de alma.
Peço perdão, de coração.
Mesmo que eu esteja… Certo!?
Sim, vale a pena então.
Mesmo que incorreto,
Faço isso pra você sorrir,
Pra você voltar.
Pra que eu possa sorrir,
Basta aqui você estar,
Basta aqui eu me desculpar.
Lhe agradeço pela noite ruim,
O dia seguinte vai ser melhor.
Vou considerar como sem fim,
Isso se você aceitar.
Deixei de ser capaz
De te deixar…

Sinônimo de olhar | mar | amar

Teus olhos no céu
Como aurora a me iluminar.
Tão serenos quanto água do mar.
Basta eu ver, para navegar.
Olhar bem ao fundo, pra me afundar.
Basta eu ver para comparar.
O mar já amou, mas não vai chorar.
O céu é que chora, acima do mar.
O mar é que se esquenta.
Para com o céu estar.
O céu quando chora, se une ao mar.
Águas tão calmas.
Que quando se irritam.
Fazem as marés, o mundo levar.
Invadem cidades pra tentar alcançar.
O pico mais alto.
Pro céu abraçar.
Outrora no alto, dizendo se céu.
Outrora em baixo, dizendo se mar.
Mas ambos juntos sabem apenas se amar.
Siga as estrelas, pra não naufragar.
O céu te salva, pro mar não te afundar.

Sepulcrum

Acordei neste dia escuro que chamo de hoje, e que alguma hora será apenas um dia esquecido . Queria que ela estivesse aqui para me ver, já não me aguento só. Sinto a falta dela quando ela não está, e quando está não sei o que falar a ela. Só sabíamos falar de amor, amar um ao outro como o céu ama o mar. E como tal fomos separados pelo destino, eu pelo jeito sou o céu estou a me lamentar e o céu chora por mim. E ela o meu mar, mar de amor que por ela eu estaria disposto a navegar, quando acordar turbulências irá gerar e em seu ódio e tristeza futuros marinheiros afogar.
Queria estar com meu violão… Mas com ela, ele se foi, tocar as notas com minha alma, aquelas que não fui capaz de tocar pra ela. Tocarei então meu piano que, outrora, foi esquecido pelas minhas mãos. A melodia que toco me faz sentir como um coveiro, cavando, porem o meu próprio túmulo. Pelo menos no túmulo poderei chorar, afogar-me, e se ela estiver presente novamente, eu irei boiar.
Coloquei-me a dormir, choramingando sobre meu próprio túmulo, e quando acordei estava dentro dele , por incrível que pareça, me afogando. E não conseguia subir, agora era um caixão d’água, comecei a ouvir a voz dela, ecoando sobre meus ouvidos, mas quando olhava, os ecos voltavam ao fundo da tumba, o eco dizia com a voz dela: Você se arrependeu de me abandonar, mas eu não sou como você, não vou te abandonar, teus sorrisos são como céu de estrelas, e sobre mim, são a calmaria do mar, aquele que guia através das águas. Hoje o céu abraça o mar, ambos se tocam sem ao menos sair do lugar. Parei de me debater e ao mesmo tempo as palavras “Eu te amo“, ecoavam diretamente a mim, sem direções, sem limitações. Aquele mar de lágrimas de auto ódio e dor, agora era um mar de lágrimas de vida e amor.
Naquele mesmo buraco, residiram ambos os polos do mundo o céu na altura do mar, e da mesma forma o mar na altura do céu.

Recitador de Ilusões

A partir das vossas almas.
Criei ilusões, amor e ódio.
Ambos com pitada de dor.
A única maneira que…
Que nessa vida desaparecem as ilusões.
Apenas através dos vossos refrões.
Dois dias foram necessários
Para que, viesse a acontecer
Se encontrasse o amor.
De olho em olho.
Buscando a chave da alma.
Flor em flor.
Cada dia um olhar a mais com amor
Cada dia um olhar a menos com a dor.