Alérgico

02

Tinta laranja…
Estou encoberta por desespero enquanto ela sobe pela minha garganta e me asfixia.
Minha pele pinica em todos os graus e incomoda, eu a sinto irritada, vermelha e inchada e tudo o que eu penso é que não quero morrer assim.
Então choro calada por que não há ninguém que possa me socorrer, ouvir ao meu pedido de ajuda.
Por favor, eu suplico.
Eu só não quero passar por isso novamente.
E arde.
Eu sinto as feridas se abrindo e este é o momento terrível da verdade em que me encontro.
Ela está por todo meu corpo, me tingindo com sua cor vibrante, querendo tornar-se, integrar-se ao meu corpo, como uma simbiose.
Medo de dormir, medo de nunca mais acordar, eu já tive dias melhores. Eu só quero respirar sem precisar forçar o ar para dentro dos meus pulmões.
Alguém me salve!

Foto: Pinterest

De A até Z

casal

Deixa eu plantar esse amor que tenho por ti,
Uma única semente, pois plantei meu coração.
Venho do meu futuro pra falar pra ti:
Teve várias fazes desse meu amor.
Era inicialmente,
Um broto,
E logo era flor.
Mais bonita que as outras,
Mais cheirosa que todas.
Logo cresceu, rápido eu sei, mas quem plantou fui eu.
Então virou árvore!
Que estranho essa fase, casca grossa, mas delicada como ninho das aves.
Cravei na casca um coração, com nossas iniciais de A até Z, assim todo o alfabeto pode nos entender.
A árvore foi crescendo, e o coração lá.
Então entenda: Não importa o quão longe nós estamos do topo, o amor dura para sempre, está cravado no tronco.
O coração não subiu, mas o amor cresceu, pois plantei o coração e com sua essência eu reguei.
Te amo amor, fica bem, é dia dos namorados, dia da floricultura, vou gastar milhões para criar uma plantação de amor digna de ti. Vou ser espantalho para espantar o mal daqui.

 

Foto: Pinterest

Poison

1b6daf13e3a8b3da8f32864dadf06c55

​Todos somos compostos por sombras, algumas boas, algumas más, mas acredito que a maioria das sombras sejam más. Ou tristes.
Elas mostram os nossos sentimentos reprimidos da pior forma possível, como uma personalidade dupla. Quando ficamos fora de nós mesmos, é como se a mente apagasse e então outra pessoa assumiria.
Essas sombras significam as nossas partes não trabalhadas que deveriam ter uma atenção, ou mérito, pelo grande e magnífico trabalho. Mas a questão é que, as sombras estão em todos os lugares, pessoas, ocasiões. Estão presentes nos nossos momentos de desespero, ali, no canto, debaixo da cama, como os famosos monstros, para nos assustar. E nos assustam, todas as vezes que deitamos a cabeça e não dormimos.
Então fica a pergunta sem resposta: como nos livramos delas?
Por que tudo o que fazemos para expulsá-las parece não ter efeito algum, sem resultados.
E aí, há um homem à sua frente, uma pessoa que você ama, mas você não pode dizer, por que há uma sombra, com a forma do teu paradigma apontando uma faca na sua garganta. Você não sabe quem ganha o jogo se você se arriscar.

Escrito em: 04 de abril de 2017 – 12h09 – rodoviária, entre a plataforma 16 e 17

Foto: Pinterest

Linhas Tortas

Eu escrevo poesia porque é a unica forma de eu dizer como me sinto sem ter que ser direta.

Ela me salva quando estou quase me afogando, me puxa de volta para eu mesma quando minha alma está fugindo do meu corpo. Ela me mostra e me ensina e eu aprendo muito com ela por que sou uma boa aluna. Uma dose de poesia diária para nunca morrer envenenada!

8becd51c7c132554d7b0c3f9559e4e4e

Muitas vezes, eu leio um pouco de Bukowski, um dos meus favoritos dentre outros poetas, gosto até mesmo dos mais novos, que também, muitas vezes, sentem o mesmo que eu e isso traz uma sensação de estarmos todos juntos no mesmo barco, de falarmos a mesma língua, nada que precise ser traduzido, numa mesma época.

40692cdc6559afd351cebb5ff587c0ea

A poesia é fundamental, ela nos traz vários tipos de reflexão. Cada ponto é um ponto, e é importante que ela não tenha um final, não se extingua, seja infinita e sempre profunda. Acho que a maioria dos poetas já percebeu que, a poesia é a tradução para a nossa alma, nossos sentimentos, nossa linguagem, todas as coisas que sentimos, mas que não queremos ser julgados por sentir, por que vivemos numa sociedade mecanizada onde sentir ou demonstrar é um pecado mortal.

86c3e5ed0763dbb7dcfffe52f609eaf9

Escrever sempre foi a minha âncora, meu suporte, meu ponto de fuga para tudo aquilo que me causa dor, medo, impotência.
Sempre me ajudou, então espero que as minhas poesias, os meus textos, também sejam essa ponte para as pessoas quando elas mais precisam e não há ninguém para ouvi-las. Que a minha poesia chegue nessas pessoas e diga: nós estamos juntos!
Talvez seja essa sensação que todo poeta procura, saber que não está sozinho na dor, que outra pessoa também sofre.
E que incentive mais pessoas a serem poetas também, que a poesia salve a todos nós de nós mesmos!

bb16be06f591f26c16e70aedb5c273af

Somos humanos, então sejamos todos humanos!

Fotos: Pinterest

Never be alone

1aee6c3dd1022d2d6531ad96609b5f9f

Eu queria ser um anjo… pra poder te abraçar enquanto você caminha, enquanto você dorme. Te proteger, ser onipresente quando a saudade quase matar.
Eu queria ser um anjo, parar de me autodestruir neste corpo tão humano e cheio de tantos sentimentos profundos. Eu não queria sentir, queria ser um céu negro, ser o cinza da chuva, ser as lágrimas de Deus quando um filho morre.
Eu queria ser um anjo… só pra poder ver aonde você está agora e poder deitar minha cabeça no travesseiro, fechar os olhos e não me preocupar mais.
Eu queria ser um anjo, mas não sou.
Sentimento de impotência, de não saber o que fazer, sentir, falar. Uma tremenda confusão, por que não sou um anjo e não posso fazer nada disso, não posso estar em nenhum lugar fora do meu corpo, fora de mim mesma.
Um leão enjaulado.
Uma boca sóbria.
Um vazio dentro do peito.
A sensação de estar perdendo mais uma vez, mesmo que isso não signifique ser um jogo.
Eu só queria que você soubesse, eu me trancarei aqui agora, onde é escuro, para não ser encontrada, e escreverei até minhas mãos formigarem. Para longe, muito longe, me afogarei só mais um pouco antes do sol nascer.

Música para acompanhar:

Foto: Pinterest

Cold Bones

cold bones
Respire, ele diz.
Mas não consigo. A medida que a traqueia se fecha e engasgo na água fria, é cada vez mais inútil tentar.
Salve-se, ele continua.
Mas ele não vê que é impossível?
Então as lágrimas descem e os olhos ficam vermelhos, as pupilas dilatadas tão negras quanto o breu de uma esquina mal iluminada a noite.
Ele me tira da água, as roupas pesadas puxando meu corpo para baixo. Para baixo.
Mas ele é forte e sempre foi a minha montanha. Ele grita, me sacode, empurra meus pulmões para dentro de mim. Mas estou tão pálida e fria que não sinto mais.
Acorde, ele me agita desesperado.
Então tudo é salvação quando suas mãos chegam ao meu coração e o assopram para viver.
Dá-me fôlego para que possa aguentar só mais um segundo, dá-me o próprio ar para que possa respirar, dá-me o calor para que possa me aquecer.
Não fique nervosa, esfregarei as tuas costas – ele diz com um sorriso, para quando tudo se acalmar. E, por favor, não se vá. Ele continua.
E pede para que não desista, nunca.
A sensação é branca.
Foto: Pinterest

Winter Bird

17793465_10212595796036212_1858815945_n

Você é meu pássaro branco que veio para a minha salvação, com seus braços longos e seu sorriso brando. Talvez eu não esperasse, ou esperasse muito, por que olhei em seus olhos a primeira vez que te vi e eu enxerguei além do que você poderia imaginar.
Eu vi máscaras num baile, vestidos esvoaçantes. Uma satisfação, um romance.
Nós dois jogávamos o jogo sem saber, mas nenhum de nós perderia. Loucos!
Dançávamos até cansar, e não cansávamos nunca de nossas mãos juntas e nossos encontros em segredo. Éramos o segredo um do outro, a cumplicidade nua e crua e nada parecia importar, desde que estivéssemos o suficientemente perto para ouvir nossas respirações e nossos corações baterem em um ritmo que nem o mais talentoso músico conseguiria pautar.
Eu corri e você veio logo atrás, eu gritei e caímos juntos entre as folhas secas. Abraçados, enroscados, feito linhas de poemas que eu nunca queria me desvencilhar, dormir ao teu lado é tão reconfortante quanto a paz da natureza. Éramos o campos elísios um do outro, tudo era ouro, tudo era quente e nada mais parecia ter importância enquanto estávamos um ao lado do outro.
Você é meu pássaro branco, anjo, meu sentimento mais puro, minha humanidade em forma de homem, o melhor de mim que está em você e cada pedaço teu marcando meu corpo como brasa.

Foto: Rodrigo Aquino

Start Swimming

20130829-193120

É tão escuro aqui dentro que talvez se você entrar não enxergue nada, mas não há problema, quero que apenas entre e acenda as luzes, cada uma devagar e pacientemente. Essa é a minha casa, mas eu quero que se sinta a vontade para ficar. Quero que veja o que há dentro em mim, quero que veja que não é só medo e fuga, aqui também há algo como felicidade aprisionada, como uma sereia em um rochedo presa por marinheiros. Liberta-me!
E a maré sobe, e devagar ela se transforma. A lua cheia brilha sobre nós, seus sorrisos puros, as mãos dadas e os olhos que brilham sorrindo em minha direção.
Há quadros na parede, retratos na cabeceira da cama, poesias por todas as paredes, se você reparar melhor, poderá ver todos os meus sonhos e desejos listados, e saberá que em tudo isso há um pouco de você também.
Eu sou sua hoje à noite e amanhã também, todas as horas e em todas as estações.
Então se afogue, mergulhe em mim, não me solte, me agarre com mais força para que eu possa sentir você afundar sobre mim. E então você vai descobrir que eu não machuco como antes avisaram. Eu não sou espinho, não sou rocha, não sou gelo. Eu sou, como a velha lua uma vez me disse: você é todo o amor que eu lhe dei.

Foto: Pinterest

Compasso

Para o norte, diz ele. Para o sul, diz novamente. Para todas as direções possíveis! Mas ainda não vi nada e estou procurando, mas o óbvio está tão claro que não importa o quanto eu tente enxergar, tudo o que posso ver são linhas tortas a minha frente, pequenos rabiscos sem nexo.
Estamos cada um de um lado, apontando nossas armas para nossos reflexos no espelho, tentando nos destruir a cada momento que se torna passado. E esquecemos, completamente, a razão de um dia existirmos. Então nos deparamos com os monstros que nos tornamos, com os inimigos que fizemos, e todos eles são apenas um: a nossa própria sombra.
Preste atenção! Diz o dono da voz, me cortando dos meus devaneios. Olho para o céu estrelado e eu pisco uma, duas, três vezes. Para onde quer que a minha mente me leve, e eu me embalo numa viagem distante que eu não posso mais voltar. E por uma fração de segundos há areia sobre minhas mãos pálidas, escorregando pelos meus dedos enquanto minhas unhas azuis descascam. Eu permaneço descansando, fecho meus olhos novamente e sinto o sopro gelado de uma deusa na minha nuca.
Eu estarei de volta quando o outono acabar!

In the world that I created I’m intoxicated

7054ac2d3b8b946f50a8418b3ff84815

Criei você e recriei milhões de vezes, milhões de pedacinhos teus em minha mente, para te trazer mais perto, para que nunca me esquecesse do quão belo és. Uma partitura, uma canção há muito tempo guardada, engavetada, mas que estava ali para ser tocada… empoeirada, amarelada, amada. A sinfonia da alma, a ventania do tempo, as cinzas deixadas para trás num sopro, cada memoria engaiolada, intocada, nua, crua, delicada. Espólios. Eu senti frio quando permiti que voltassem para meus braços, mas tão acolhida por que me trouxeram você, por que me reviveram com você dentro de mim.
Então o piano velho voltou a tocar, a nossa musica, e ela dizia: eu quero ser seu. E era como a noite observar nascer o dia, a escuridão ver a luz ser criada, era como estar em teus braços naquela noite dançando, e eu podia morrer, mas não era nada sem a melhor parte de mim segurando minhas mãos.
Tudo sonho, eu estava tão intoxicada que era quase impossível respirar, algo tão claro sendo deixado de lado pela simples incapacidade de desviar o olhar.
Todas elas voltaram para a gaveta, por mais um dia.

Imagem via Pinterest

Shadow

7e486d93357beedf78dc7960b2e10819

Por que alguns sonhos sempre voltam? Como que para nos alertar de algo que desconhecemos, ou nos lembrar de algo sombrio? Talvez martirizar nossa alma do que somos ou que fizemos no passado. Mas a questão é: por que eles se repetem? O que querem de nós? Seria apenas uma brincadeira do nosso subconsciente com o nosso medo? Uma brincadeira de mau gosto, pra variar. Algo para se deixar evidente em nossa alma de que esta la e não vai sair por vontade própria, algo que nós mesmos devemos aprender a lidar ou encontrar uma forma de expulsar. Contudo, nada é fácil, por que o que nos atormenta, o nosso demônio interior, que nos faz acordar suados no meio da noite e ofegantes em nosso torpor no escuro, nos conhece melhor do que nós mesmos se quer um dia imaginamos. E reconhece todas as nossas emoções mais variadas e escondidas, uma armadura, emoções puras e esquecidas. E lutamos por isso, por que conviver consigo mesmo é o pior pesadelo de um assassino, o assassino de si mesmo.

Foto: Pinterest

Umideessencia

Tá tudo bem, a chuva cai…
Muito além, do que se tem.
Pra chover, pra chorar, pra encher.
Deixa que a alma guie vossa pessoa,
Deixe que o vento leve vossa coroa.
Saia desse trono, você não é de sangue real.
Tu mal existe nos pensamentos.
Imagine ser princesa do meu mar.
Quem dera, eu pudesse controlar.
A tempestade chega independente do lugar,
Por isso me sobre ponho, sobre seu corpo.
Sou sua capa de chuva, guarda chuva, guarda o teu amor.
Um receptáculo também de dor.
E se minha alma escorregar e eu não puder alcançar,
Como vou seguir, como vou contar,
Histórias tão chuvosas, tão molhadas quanto mergulhar?
Mergulhar na tua mente, certamente vou me afogar.

Ao meu eterno anjo…

Ao meu eterno anjo…
Quero desejar a ele que de onde ele está ele possa ver as estrelas brilharem após a penumbra,
Que me faz lembrar de como seu abraço era quente,
Que me faz lembrar às vezes de que nem todo peso nas costas são minhas asas querendo se abrir.
Ao meu eterno anjo…
Quero dedicar-lhe um poema
Aquele poema que só ele pode ler,
Que está escrito em nossas memórias por séculos em que vivemos de mãos dadas.
São pequenos símbolos que apenas nós podemos compreender.
Eu quero que ele saiba que nada pode nos deter,
Quando queremos atravessar as barreiras do tempo.
Que nada pode nos machucar,
Quando o amor nos torna livres.
Ao meu eterno anjo…
Eu nunca poderei viver,
Eu nunca mais respirarei,
Por que respirar e viver torna-se uma arte dolorosa quando se faz sozinho e eu não tenho aguentado por muito…
Eu não o tenho feito sem tossir as dores e o gosto amargo dos sentidos.
Ao meu eterno anjo…

Velha Amiga

Não sou eu que me arrisco todo dia,
É a morte que gosta de me olhar.
Quer fazer feitos como os meus.
No mais bruto sentido, quer viver, se realizar.
Difícil dizer isso, mas ela quer me imitar.
Ela é uma velha amiga.
Uma velha chegada.
Conheci antes mesmo de nascer.
Ela conversava comigo, todo amanhecer e entardecer.
De noite ia em bora, visitar os meus avós.
Tomar o chá da meia noite.
Sabe como é!?
Pro espírito acalmar.
Coitada da minha amiga,
Vai ter muito a esperar.
Não vai me abraçar tão cedo,
Muito menos me tocar.
Às vezes ela sussurra,
Às vezes ela chora,
Mas toda manhã eu percebo
Que ela chega sempre na hora.
Mas toda noite eu observo
Que ela sempre vai embora.

Amargo

E por tudo que eu disse a ti
Eu queria me desculpar com você,
Queria dizer coisas bonitas,
Coisas que poderiam descrever você,
Cabelos, sorrisos, olhos tranquilos;
Vozes, palavras, manias perdidas;
Sentimentos, falta de alegria;
Raiva, coragem, ódio e amor.;
Tanta coisa pra você.
Tanta alma querendo ser
A alma gêmea de outro ser.
Basta buscar, querer encontrar.
Basta querer, basta tentar.
Mas apesar de tudo,
Juro que tentei me desculpar contigo.
Mas agora já nem sei,
Procuro aqui comigo uma parte tua.
Nem que seja… pura amargura.